quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008


História do Internacional

Data de fundação do clube: 4 de abril de 1909 Quando os jovens Henrique, José e Luis Poppe chegaram a Porto Alegre, em 1908, vindos de São Paulo, foi fácil abrir uma loja de roupas e logo começar a ganhar dinheiro. A capital gaúcha se modernizava e progredia rapidamente. Desde o fim do século XIX, possuía fábricas de máquinas, tecidos, móveis e cerveja; há quatro anos os bondes elétricos tinham substituído os puxados a burro; acabava-se de instalar iluminação elétrica em todas as ruas do centro; e a população havia saltado de 73 000 habitantes em 1900 para 120 000 naquele ano de 1908.
Difícil mesmo, para os irmãos Poppe, foi serem aceitos como sócios em algum clube da cidade. Jovens de 20 e poucos anos, eles queriam praticar esportes, de preferência o futebol. Mas o Grêmio, que já existia há seis anos, se fechou para eles. E também os clubes de remo, de tiro, de tênis. A desculpa era sempre a mesma: gente recém chegada, pouco conhecida... Aí, os irmãos Poppe se irritaram e resolveram fundar seu próprio clube. Começa assim a história do Sport Club Internacional. A Democracia Os discursos ouvidos nas reuniões sempre giravam em torno de um princípio muito importante para os Poppe e para aqueles que ali estavam. O Internacional estava sendo criado para brasileiros e estrangeiros, uma clara alusão à política de discriminição dos outros clubes de Porto Alegre. E esta democracia de acesso muito cedo oferecida pelo Internacional é a melhor explicação para o fato de que estudantes e empregados do comércio predominassem como jogadores do time. A cada domingo crescia o núcleo dos que iam apoiá-los contra seus adversários. Notícia da criação do Sport-Club Internacional Porque o nome 'Internacional'? A primeira diretoria colorada foi escolhida em uma reunião na avenida Redenção (hoje avenida João Pessoa), número 211 (hoje 1.025), na noite de 11 de abril. Mais de 40 pessoas votaram também para a escolha do nome do clube, definido em homenagem a Inter, ou Internazionale, nome do clube de Milão, na Itália, de onde vieram os pais dos Poppe; o campeão de São Paulo, de onde vieram os irmãos também foi homenageado: Internacional. As cores do Venezianos, o alvi-rubro do Inter surgiu do Carnaval
Diego (E) e Diogo (D) com os primeiros uniformes utilizados pelo Internacional Nem todos ficaram de acordo com a cor da futura camisa do Clube. Subdividiram -se em dois grupos como fora o carnaval daquele ano, a decisão veio do carnaval de rua entre Venezianos e Esmeraldinos, um vermelho, outro verde. Justamente as cores pretendidas, ou uma ou outra. O resultado da votação tirou da ata de fundação os que defendiam o verde. Mas o racha não esvaziou a reunião, muito menos o Clube. Ficou vermelho e branco para o resto da vida. E, ao contrário dos times de guris que viram o clube de salinha e campo emprestado, o Internacional cumpriu o esforço de eternidade de seu ato de fundação e já completa 95 anos de existência, uma promessa talvez muito maior que a dos Poppe e dos seus amigos do 2º Distrito.